sexta-feira, 29 de maio de 2009

IRON MAIDEN: Flight 666 - Já à venda !



O documentário Flight 666, que seguiu os Iron Maiden na primeira parte da sua digressão "Somewhere Back In Time" de 2008, está desde o dia 25 de Maio nas lojas.


Com realização da dupla Scot McFayden e Sam Dunn (Metal, A headbangers Journey e Global Metal), o filme é uma viagem ao universo da famosa banda de heavy metal e às suas gigantescas digressões, no caso percorrendo mais de 70 mil quilómetros.

Os realizadores acompanharam a banda e a sua equipa a vários continentes – Ásia, Austrália e América – e relatam de forma fiel mas emotiva a épica odisseia. É possível ver a banda a bordo do seu próprio avião, o Ed Force One, pilotado pelo vocalista, Bruce Dickinson. Mas, mais que o relato exaustivo dos 23 concertos em 13 países, presenciados por mais de meio milhão de fãs, "Flight 666" mostra a banda atrás do pano, os horários apertados, a luta contra os fusos horários, assim como a pressão, o stress dos músicos e restante equipa técnica.

O Documentário tem 3 vesões em DVD:

- Blu-ray FLIGHT 666: THE FILM e FLIGHT 666: The Concert (215 minutos)*


- DVD Duplo:
Disco 1: FLIGHT 666 : THE FILM (112 minutos)
Disco 2: FLIGHT 666 : The Concert (104 minutos)*


- Edição Limitada Digibook 2DVD* com booklet exclusivo de 30 paginas.


- Duplo CD* FLIGHT 666: The Original Soundtrack.


- Duplo Vinil Gategold Picture Disc Edição Limitada.



ALINHAMENTO para o concerto no DVD e Blu-ray e tambem do CD e Vinil Duplo*
CD1
1. CHURCHILL'S SPEECH
Bandra Kurla Complex/Mumbai, India
February 1, 2008

2. ACES HIGH
Bandra Kurla Complex/Mumbai, India
February 1, 2008

3. 2 MINUTES TO MIDNIGHT
Rod Laver Arena/Melbourne, Australia
February 7, 2008

4. REVELATIONS
Acer Arena/Sydney, Australia
February 9, 2008

5. THE TROOPER
Makuhari Messe/Tokyo, Japan
February 16, 2008

6. WASTED YEARS
Arena Monterrey/Monterrey, Mexico
February 22, 2008

7. THE NUMBER OF THE BEAST
The Forum/Los Angeles, USA
February 19, 2008

8. CAN I PLAY WITH MADNESS
Foro Sol/Mexico City, Mexico
February 24, 2008

9. RIME OF THE ANCIENT MARINER
Izod Center/New Jersey, USA
March 14, 2008



CD2
1. POWERSLAVE
Saprissa Stadium/San Jose, Costa Rica
February 26, 2008

2. HEAVEN CAN WAIT
Palmeiras Stadium/Sao Paulo, Brazil
March 2, 2008

3. RUN TO THE HILLS
Simon Bolivar Park/Bogota, Colombia
February 28, 2008

4. FEAR OF THE DARK
Ferrocarril Oeste Stadium/Buenos Aires, Argentina
March 7, 2008

5. IRON MAIDEN
Pista Atletica/Santiago, Chile
March 9, 2008

6. MOONCHILD
Coliseo de Puerto Rico/San Juan, Puerto Rico
March 12, 2008

7. THE CLAIRVOYANT
Pedreira Paulo Leminski/Curitiba, Brazil
March 4, 2008

8. HALLOWED BE THY NAME
Air Canada Centre/Toronto, Canada
March 16, 2008




TV Spot:

segunda-feira, 25 de maio de 2009

É pró menino e prá menina!

Como já devem ter reparado, eu tenho andado um bocado ausente. Alguns problemas pessoais e de saúde afastaram-me aqui do blog e não tenho dado a devida atenção aos blogs amigos. Mas agora estou de volta e trago um video para começar bem a semana com uma boa disposição.

Espero que gostem :)


video

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Redescobrindo a Terra-Media Pt 6

Rediscovering Middle-Earth Pt 6









Bom fim de semana :)


A viagem continua.../ The journey continues...



The following event(s) took place in Middle-earth on May 30:

- Gandalf keeps the trolls arguing until dawn (1341)

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Geração Car***** !

Não sei de qunado é este texto, mas recebi-o ontem por mail e como o achei engraçado e até pertinente. Apesar da linguagem não ser a mais própria, às vezes, o texto está bem "apanhado", decidi colocar aqui no blog.



Da geração rasca para geração merda (vale a pena ler....)




Se forem muito sensíveis não leiam! Se forem no mínimo curioso(a)s... então aventurem-se e não se indignem com meia dúzia de impropérios, porque o que interessa é a ideia final….e essa… está muito boa!!!





"A SIC montou uma gigantesca campanha de promoção para a sua nova série/novela/monte de merda, que dá pelo nome de Rebelde Way.
Depois de anos a apanhar bonés, percebeu que a melhor maneira de combater a morangada da TVI era...imitar. É lógico. Era inevitável.
Depois de 20 minutos a ver a nova série (o que me provocou uma crise de cólicas da qual só um dia depois começo a recuperar) sinto-me preparado para uma análise.
Bora lá. A fórmula é a mesma nos dois canais. Aqui fica a receita:

1 - Pitas boas. Muitas, quanto mais descascadas melhor (as séries de verão são, naturalmente, as melhores, porque eles vão todos juntos para a praia).
2 - Gajos "estilosos". A coisa divide-se em dois: há aqueles que têm quase 30 anos mas fazem de adolescentes, e depois há os que são mesmo adolescentes. Estes últimos são aqueles que se levam a sério enquanto "actores".
O requisito essencial para qualquer gajo que entre nestas séries é ter um penteado ridículo.
3 - O Rebelde Way tem gajas do norte. Fazem de gajas daqui, mas aquele sotaque é fodido de perder. Fica ridículo, mas as gajas são boas.
4 - Nos Morangos, a palavra "pessoal" é dita 53 vezes por minuto, normalmente inserida nas frases "Eh pá, pessoal!", no início de cada conversa, ou então "Bora lá, pessoal", antes do início de qualquer actividade.
Agora vamos à bosta que a SIC acabou de parir, com pompa, circunstância, varejeiras e mau cheiro. Chama-se Rebelde Way. Cool, man!
O slogan dos Morangos era "Geração Rebelde", mas a inspiração deve ter vindo de outro lado, de certeza. O que me irrita na poia da SIC é que os gajos são todos betinhos (até os mânfios são todos giros e cool e com uma caracterização ridícula, como se fossem a um baile de máscaras vestidos de agarrados ou arrumadores de carros). Mas depois são bué rebeldes. São bué mauzões, man! A brincar com os seus iPhone, com as suas roupinhas fashion, grandes vidas, mas muita mauzões.
Se há algo que esta geração de morangada não pode ser, não tem direito a ser, é ser rebelde. Rebelde porquê, contra quê? Nunca houve em Portugal geração mais privilegiada do que a actual, à qual esses putos pertencem. Nunca qualquer puto teve tanta liberdade e tanta guita no bolso como esta malta. Nunca as pitas foram tão boas e tão disponíveis para foder com a turma inteira como agora. Nunca houve tamanha liberdade de mandar os pais à merda e exigir uma melhor mesada porque é altura dos saldos. Rebelde porquê? Em nome de quê?

É claro que isto são pormenores com os quais as novelas não se deparam, nem têm de o fazer. O objectivo é simples: para uma geração tão privilegiada como aquela que é retratada, há que criar uma rebeldia fictícia, porque não é cool ser dondoca aos 16 anos. Mas é o que todos eles são.

Há uns tempos vi, no Largo do Carmo, um bando de uns 15 putos e pitas, vestidos à "dread" com roupinha acabada de comprar na "Pepe Jeans".
Um dos putos que ia à frente, não devia ter mais de 16 anos, vem a falar à idiota como se fosse dono da rua, saca duma lata de tinta e escrevinha qualquer coisa de merda na parede. Todos se riram, todos adoraram, e ele foi, durante cinco minutos, o maior do bairro. Não fiz nada, mas devia ter-lhe partido a boca toda.
Todas as últimas gerações antes desta (incluindo a minha, a Geração Rasca, que se transformou na Geração Crise - bem nos foderam com esta merda) tiveram de furar, de lutar, de fazer algo. Havia uma alienação mais ou menos real, que depois se podia traduzir nalguma forma de rebeldia. Não era o 25 de Abril como os nossos pais. A nossa revolução é a dos recibos verdes e da consolidação orçamental. Mas esta morangada sente-se, devido à merda que a televisão lhes serve e aos paizinhos idiotas que (não) a educaram, que é dona do mundo. Quando já és dono do mundo, vais revoltar-te contra quem? E por que raio haverias de o fazer?!
E assim vamos nós. Com novelas de putos "rebeldes", feitas por "actores" cujo momento de glória é entrar numa boys band ou aparecer de cú ao léu na capa da FHM, ensinando a todos os outros putos que temos que ter cuidado com as drogas (mas todos os agarrados são limpinhos, assépticos, com os mesmos penteados ridículos), que a gravidez adolescente é má (mas todas as pitas querem foder à grande, porque são donas da sua própria vida e os pais não sabem nada, etc) e que, sobretudo, este mundo lhes deve alguma coisa.
Os tomates.A mim e aos meus, o mundo deve alguma coisa. Aos que foram atrás da merda do canudo para trabalhar num call center, aos que se matam a trabalhar e são forçados a ser adultos antes do tempo. Não a esta cambada de mentecaptos.
E depois estas séries vão retratando "problemas sociais da juventude", afagando a consciência de quem "escreve" aquela merda, enquanto ao mesmo tempo incentivam esta visão egocêntrica, egoísta e vácua desta geração acabadinha de sair do forno.
Talvez eu esteja a ficar velho e a soar como o meu pai. Lamento se não é cool. Mas esta merda enoja-me.»
Vão ser rebeldes pó caralhete."
Anónimo (senão ainda vou dentro)...

sexta-feira, 8 de maio de 2009

W.A.S.P. – The Headless Children (1989)



Tracklist:
CD1
1. The Heretic (The Lost Child)
2. The Real Me (The Who cover)
3. The Headless Children
4. Thunderhead
5. Mean Man
6. The Neutron Bomber
7. Mephisto Waltz
8. Forever Free
9. Maneater
10. Rebel in the F.D.G.

CD2 - Bonus Disc
1. Locomotive Breath (single b-side)
2. For Whom the Bell Tolls (single b-side)
3. Lake of Fools (single b-side)
4. War Cry (single b-side)
5. L.O.V.E. Machine (live at Hammersmith 1989 - single b-side)
6. Blind in Texas (live at Hammersmith 1989 - single b-side)



Este ano começo as recomendações de álbuns clássicos, com o álbum The Headless Children dos norte-americanos WASP, que este ano celebra 20 anos desde a sua edição a 15 de Abril de 1989. "The Headless Children" revela um som mais pesado, musicas mais estruturadas e mais complexas e um uso maior das harmonias de guitarras e múltiplos solos numa mesma musica.

Neste álbum os Wasp voltam com uma nova formação. Na bateria temos agora o ex-Quiet Riot Frankie Banali no lugar de Steve Riley e a inclusão agora do teclista Ken Hensley. Mas a qualidade do disco não assenta somente nos músicos. Encontramos neste álbum composições mais variadas, alem dos temas habituais de puro rock'n'roll, encontramos também temas como a guerra,política, drogas, neuroses, sociedade. Muitos destes temas podem ser encontrados nas musicas (hoje verdadeiros clássicos) "The Heretic (The Lost Child)", "The Neutron Bomber", "Rebel In The F.D.G.", "Forever Free" ou "The Headless Children".

Novamente, encontramos neste álbum uma cover e desta vez do britânicos The Who, com um tema "The Real Me", numa versão muito bem feita e empolgante.

Há quem diga que o álbum foi dividido em duas partes: a 1ª parte destinada aos fãs europeus e a 2ª parte aos fans americanos. Isto nunca foi confirmado por Blackie Lawless ou outro membro da banda. Por isso fica por vossa conta avaliarem e ajuizarem se isso corresponde há verdade ou não.

Guitars/Vocals : Blackie Lawless
Guitars : Chris Holmes
Bass : Johnny Rod
Drums : Frankie Banali
Keyboards : Ken Hensley



W.A.S.P. – The Headless Children (1989)(download only available for 7 days):
CD1
CD2








The Real Me video:



Forever Free video:



The Heretic(The Lost Child) video

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Os Misterios de Daniel Chesterfield

video

Qual Luis de Matos qual quê LOL


Uma boa semana para todos :)